, Estante da Andréa

Um dia desses, tive a grata satisfação de passar por uma das sensações mais deliciosas da vida: chorar de tanto rir! Confesso que, infelizmente, não é sempre que tenho essa experiência. Episódios assim costumam ser muito pontuais e até esporádicos mas já fico feliz por existirem e eu poder lembrar de alguns.

Pensando sobre eles, notei que é possível rir nessa mega intensidade em momentos variados. Posso estar sozinha observando a natureza e achar alguma situação muito engraçada. Nosso falecido rottweiler Mistério era ótimo nesse quesito porque era daqueles cachorros truculentos mas de um “desengonçamento” surreal. Só de lembrar de umas “presepadas” dele, já me arranca um sorriso no rosto.

Posso estar assistindo a um show de humor e ser surpreendida pela constatação de que realmente existe gente engraçada nesse mundo! Já aconteceu comigo de sair de um espetáculo com a sensação de estar com sinusite de tanto chorar gargalhando! Na boa, parecia que eu tinha rejuvenescido uns bons anos pela leveza pós-stand up comedy. Sensacional! Vontade de ir lá e agradecer ao indivíduo e pedir pra gente ser amigo ad aeternum.

Mas, de todas as possibilidades para rir até chorar, acredito que a melhor seja a de estar com gente chegada ao coração e compartilhar fatos que possibilitem conexão. Pode ser alguém da família, escola, faculdade, igreja, trabalho, vizinhança… Sem titubear, para mim, essa é uma das vivências que entra na prateleira dos melhores momentos da vida! É impressionante…Só de lembrar de ocasiões em que rachei de rir já me dá vontade de rir! Que coisa boa é ter do que rir na vida nossa de cada dia, não é?!

Não sei como funciona com você, mas sou daquelas pessoas que acha que está sorrindo, mas a fisionomia continua séria. Já cheguei a pensar em tatuar a palavra SORRIA só pra me lembrar que naquele momento, um sorriso no rosto não faria mal algum e talvez fosse até necessário. Nosso rosto tem tantos músculos, por que não os utilizo mais sorrindo além de falar, fazer cara de paisagem, concentrar, bocejar, chorar? Por quê? Por quê? Por quê? (Pausa para reflexão)

Quando leio o sábio Salomão dizendo que há tempo para cada coisa na vida, sou desafiada pela afirmação de que há tempo de chorar mas também há tempo de rir. Observando a situação da Terra e seus moradores hoje, dá muita vontade de chorar mesmo. É tanta perda. Tanto luto. Tanta dor. Tanto desencontro. Não há dúvidas: realmente, lágrimas de tristeza são necessárias!

Mas não posso negar o fato de que também há lapsos de delicadeza na vida que funcionam como cócegas no nosso coração. Então, quero te dar um conselho. Se isso acontecer com vc, não resista! Ria até chorar! Ria até dar câimbra (ou “câmbria” como dizia o Miguel, meu filho). Ria até você se lembrar que tem músculo no abdômen e que eles estão gritando de alegria! Ria até faltar o fôlego e você achar que viveu pra viver aquele momento. Ria até você admitir que Deus é bom e que a misericórdia divina pode disponibilizar alguns vouchers para gargalhadas espontâneas e verdadeiras.

Fala sério agora! Só de ler isso você já se lembrou de alguns amiguinhos e coleguinhas nessas suas andanças por esse mundão, não?! Eu já, graças a Deus! Hoje, quero celebrar ao Eterno por essas pessoas que em algum momento foram integrantes desse cenário tão delicioso de revisitar na memória!

Obrigada, Deus! Foi bom demais viver isso! Até a próxima, se o Senhor quiser!

12 respostas
  1. MEIRE
    MEIRE says:

    Ah!!! Que delicia essas suas palavras, senti uma leveza, em meio a tantas o obrigaçoes, verdade é realmente muito bom chorar de rir. Que o Pai possanos proporcionar varios momentos como esse. JA ESTOU SORRINDO .

    Responder
  2. Elyne
    Elyne says:

    Uau! Muito bom mesmo, a dor muitas vezes faz agente esquecer de rir, esquecemos do que Salomão deixou escrito: O coração alegre aformoseia o rosto… Vamos rir porque é muito bom mesmo.

    Responder
  3. Sirlene Camera
    Sirlene Camera says:

    Obrigado por me fazer ler. Nem isso estava com vontade. Mas chegou em meu e-mail. Valeu. Muito bem escrito, e me fez lembrar que devo voltar a sorrir.

    Responder
  4. Rosemary Alves Maciel
    Rosemary Alves Maciel says:

    Andrea, fiquei triste em saber que o “Mistério” morreu…
    Contudo, faz muito sentido suas colocações. Como mineira quando juntamos a mulherada para contar “calsos” da parentela. Choramos de tanto ri. Sim! doi a barriga e está fazendo muita falta esses preciosos momentos.

    Responder
  5. Letícia Gabrielli
    Letícia Gabrielli says:

    Revisei a memória e encontrei diversas ocasiões saudáveis de risos. Ri de novo ao lembrar e certamente valorizarei ainda mais os futuros momentos de risos.

    Obrigada, Andréa!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *